18 de jan de 2015

On 03:17 by HERIVELTON MARCULINO in , ,    Sem comentários

19/1/15

Quem é da ‘bléia’ já deve ter ouvido essa saudação: “Nós Discípulos de Emaús, eu Canção eu Louvor, saudamos a igreja com a paz do Senhor!". Eu confesso que a primeira vez que os ouvi eu tinha uns 13 anos de idade e achei muito engraçado porque eu nunca tinha ouvido alguém saudar a igreja daquela forma. 
Eles ainda recitaram um texto tão bonito que fiquei espantada como eles decoraram tudo aquilo (rsrs). Eu estava na Escola Bíblica de Férias na minha terrinha Goiana e eles foram convidados para cantar lá junto com o grupo Pão da Vida (que eu amava). Eram ainda dois adolescentes, mas já cantavam que era uma beleza.

Eles cresceram e continuam a desenvolver esse talento lindo que Deus deu a eles. Eu, que já gostava quando criança, gosto muito mais agora e quem diria (só Jesus que faz isso) eu estaria entrevistando eles para o meu blog. Hoje eles continuam sendo os Discípulos de Emaús, agora com muito mais responsabilidade! Já romperam barreiras e fronteiras para fazer Jesus conhecido. Acompanhe essa entrevista muito abençoada da Claudia Canção e do Claudio Louvor!

Obs. É pra ler até o final viu? \o/ rsrs

Blog da Élida Régis: Qual a história do nome Canção e Louvor?

(Cláudia responde): Primeiramente, gostaria de agradecer o seu convite pra participar dessa entrevista aqui no Blog Élida Regis. Acompanho sempre e gosto muito das perguntas que você faz por que não são tão ‘comuns’. Às vezes respondemos muito as mesmas perguntas. Mas vamos lá. Surgiu quando éramos crianças, por volta dos 7 e 8 anos de idade. Nossa mãe resolveu que deveríamos ter um nome, tipo os órgãos de louvor da igreja. E ai ela pensou em “Discípulos de Emaús”, porque eram dois e tiveram o privilegio de andar com Jesus, ainda que sem saber... mas andaram com Ele. Mas nós, apesar de pequenos, dissemos que faltava alguma coisa. E ai eu falei brincando, “Eu poderia dizer ‘ Eu sou Canção’!” e o Cláudio competitivo falou na mesma hora: “ Se você é Canção, então  eu sou Louvor!”. Ajustamos, ensaiamos e deu certo. É incomum, mas é original. (risos).

Blog da Élida Régis: Qual o desafio de cantar ‘sertanejo’ na igreja?
(Claudio Responde): Eu acredito que hoje em dia essa barreira já foi quebrada, Élida. Aprendi com o Pr. Ailton Júnior que em tudo temos que ter equilíbrio. O erro de muitos estilos ‘diferentes’ entrarem nas nossas igrejas e nós estranharmos é que as pessoas esquecem de equilibrar as coisas. Eu pelo menos acho que nosso sertanejo, o meu junto com a Cláudia, é meio exclusivo. Eu não digo isso com prepotência, me entenda! (risos) Falo que, não é comum ver esse tipo de batida que fazemos no nosso violão... nem eu as vezes sei os nomes dos estilos que tocamos. Só vou compondo por inspiração de Deus mesmo e vai fluindo, e virou uma identidade nossa. Presente de Deus mesmo. Então, mesmo tocando viola que é inicialmente tido como sertanejo, e buscando o equilíbrio, falando sobre a Bíblia e sobre Jesus, acho que o desafio se torna fácil de ser cumprido. Tudo é pra gloria de Deus.

Blog da Élida Régis: De onde vem à inspiração para compor músicas ‘engraçadas’? Como falar essas verdades sem ser muito agressivo?
(Claudio Responde): O levita, segundo a bíblia, tem a função de levar a igreja a adoração, servir e outra função que se chama exortar. Eu acho que Deus me deu esse jeito de compor porque faz parte da minha personalidade. Eu sou brincalhão e meio palhaço por vida e isso todo mundo sabe. Acaba refletindo nas minhas músicas. Apesar de jovem, brincalhão e tudo mais eu sou observador da sã doutrina e faço de tudo para cumpri-la. Quando vejo que às vezes nossos irmãos não fazem o mesmo, me utilizo do meu jeito leve pra falar as verdades de Deus. Sabe aquela de “toda brincadeira tem um fundo de verdade”, no caso das nossas músicas exortativas pra jovens são TUDO verdade. E tem surtido efeito. As pessoas ficam cantando ela pras outras quando veem que estão errando em alguma coisa, como por exemplo, “deixa de ficar ficando, toma o teu tempo orando pra Jesus te batizar”. As pessoas riem, mas também refletem.

Blog da Élida Régis: É difícil ter que ser jovem, cantora e exemplo? Como você acha que influencia ou deveria influenciar os jovens?
(Claudia responde): Eu considero uma grande responsabilidade. Não sei se diria que é difícil. Eu sirvo a Jesus com tanto amor e coração, que não sinto que ‘ser diferente’ é um peso, entende? Eu sempre entendi que antes de agradar a alguém, preciso agradar a Jesus. Mas isso tem que ser leve, livre e de coração.  A responsabilidade é exatamente essa influenciar outras pessoas. Tudo que nós fazemos está sendo observado e acredite, copiado. Só que apesar de sermos jovens, às vezes deixamos de fazer coisas que até outros jovens crentes fazem e que é considerado até aceitável, mas se fizermos não é. É uma renuncia diária. Às vezes a gente sofre um pouco. Mas como eu disse, amamos tanto andar no caminho de Deus que isso é supérfluo. Não tem nada melhor do que andar como coração tranquilo na presença do Espirito Santo.

Blog da Élida Régis: Você assiste televisão, BBB ou Fantástico?
(Claudia responde): Nós assistimos televisão. Não assistimos BBB e o Fantástico também não. Mas o último é porque sempre estamos nas igrejas nos domingos e os cultos sempre se estendem nos congressos que vamos fora do estado e depois ainda vamos atender os irmãos e ainda comer (porque crente ama comer! Kkkk) e quando chegamos no hotel já tem acabado. Mas não temos nada contra o Fantástico. É uma revista eletrônica de altíssima qualidade. Hoje em dia, temos televisão em casa mais pra acompanharmos o canal 14, os cultos, mensagens e também pra ver filmes na TV a cabo. E ainda assim, quase não assistimos porque preferimos às vezes um tempinho livre pra ficar na internet. Não somos contra televisão. Temos o controle na mão e com um pouquinho só de bom senso é possível assistir sem corromper a comunhão com o Espirito Santo.

Blog da Élida Régis: Na sua opinião, qual a conduta da jovem cristão em meio a uma geração corrompida?
(Claudio responde): O jovem cristão deve fazer a diferença. Eu sempre digo isso. No trabalho, faculdade, na rua... onde estiver. Na maneira de vestir, falar, se comportar. O jovem crente é observado em tudo. Mas eu também acredito que não devemos ser inibidos, excluídos, chatos, entende? Tem que sorrir, contar as coisas boas de Deus, da sua igreja... Deve ter momentos de lazer com seus amigos. Não gosto quando acham que crente é triste e chato. Nós temos a alegria de Jesus na gente. Por isso brinco tanto, rio tanto e gosto de fazer as pessoas sorrirem. É mais uma vez a questão do equilíbrio. Servir e amar a Jesus em TUDO na vida e ser feliz. É assim que o jovem cristão tem que ser.

Blog da Élida Régis: Como você lida com a “fama” e/ou assédio das pessoas?
(Claudia responde): Tentamos entender que receber o carinho dos irmãos faz parte do nosso trabalho. É uma honra que Deus dá. As pessoas se aproximam de quem elas admiram, amam, oram e isso nós entendemos que é benção. Algumas pessoas, de longe, acha que somos meio antipáticos e até meio ‘bestas’. Mas só que se aproxima e chega perto pra ver que nossa alma não tem vaidade quando a fama e assedio e essas coisas. Amanhã, não seremos mais nós que estaremos levando uma geração à adoração, Deus levantará outros e não existe porque ‘se achar’ alguma coisa. É um privilégio sem tamanho ser canal de benção e honramos esse presente de Deus tentando dar atenção aos irmãos, tirar uma foto, assinar um CD... algo assim. Às vezes estamos cansados, já tiramos fotos passando mal, e às vezes até dizemos e a única dificuldade é que alguns não entendem... rsr Mas a gente dá conta da benção sem problemas. É só lembrar que tudo vem de Deus e é pra Deus e que não somos nada. Então somos muito conscientes disso e pedimos a Deus pra que nos ajude a dedicar a Ele, e ao sacrifício dEle na cruz por nós, todos os aplausos que recebermos aqui, como diria Vitorino Silva.

Blog da Élida Régis:  Na sua opinião, o jovem cristão pode escutar música secular?
(Claudio responde): Tá ai uma pergunta e resposta complicadas. Rsrsr Acho que existem muitos artistas que fazem música secular de altíssima qualidade. Acho não, isso é fato. Houve um tempo que eu e Cláudia tínhamos no computador algumas músicas de cantores que admiramos. Não posso mentir pra você que admiro muitos cantores sertanejos, principalmente os antigões, e Cláudia ama aqueles camaradas que escrevem umas poesias cantadas que tem que ler um livro pra interpretar, sabe? kkkk Mas sentimos de Deus que não deveríamos ter no nosso notebook, nem no playlist do celular músicas que não exaltam a Deus. O Espirito Santo tem ciúmes, eu acho. Se acontecer de eu ouvir até ouço, mas não a torno alimento pra o meu dia a dia. A música evangélica hoje tem muita qualidade e em variados estilos. Acho que é melhor dá uma pesquisada naquele estilo que você gosta e dá uma busca no meio evangélico. É de se surpreender com a quantidade de coisa boa que a nossa música tem.

Blog da Élida Régis: A música gospel pode se adaptar a todos os ritmos?
(Cláudio responde): Eu acredito que sim. Não sei ainda com relação ao funk, por exemplo. Esse estilo está tão voltado pra músicas ‘inaudíveis’ que não sei se conseguimos adorar ou ser exortados por algo neste estilo, me perdoem se estou sendo preconceituoso. Não é minha intenção. É apenas minha opinião. Sei que existem funks com letra e até de qualidade, mas ainda assim a tendência da maioria é ser o contrário. Mas enfim, acho que sim. A música gospel pode se adaptar a maioria dos ritmos. Eu acho até necessário! Já ouvi raps com muita, mas muita qualidade e que são gospel. É só falar de Jesus com propriedade, da bíblia e o mais importante: ver que quem canta leva realmente uma vida diferente. Às vezes tem observar isso também, a Fonte, de onde vêm as canções e tudo... A partir deste ‘filtro’ é possível encontrar músicas em todos os estilos que adorem a Deus de verdade.

Blog da Élida Régis: A tecnologia tem atrapalhado o jovem na adoração?
(Claudia responde): Eu acho que estaria mentindo se dissesse que não. Redes sociais, câmeras nos celulares... Já vi muito na igreja. Chegam e já postam que chegaram, às vezes nem oram. Filmam boa parte do culto e quase não adoram. É MUITO válido filmar, arquivar... Eu também faço isso. Mas não deixo de adorar. Só registro um pequeno momento e largo o celular na bolsa. Não entro nas redes sociais na hora do culto. Tem que ter reverencia! É o mínimo que podemos fazer. Em casa, se auto policiar: ‘quanto tempo eu passo no whatsapp ou no facebook? E se eu reservar ao menos metade deste tempo pra um devocional?’ São atitudes tão simples que fazem uma diferença tão grande na nossa alma e na comunhão com Deus. Jesus tá com saudade da nossa juventude conversando com Ele. E boa parte desse tempo, infelizmente tem sido gasto com a bendita tecnologia.

Blog da Élida Régis: Você já pensou em “se separar” do Claudio e lançar carreira solo?
(Claudia reponde):Nunca. Me dá uma agonia só em pensar em algo do tipo. Nosso vínculo é de alma mesmo, de sangue, de coração, de tudo. Rsrs Não consigo. Eu sei que talvez ele fosse benção também se cantasse sozinho. Sou fã do meu irmão demaaaais, em tudo! Ele nem precisa de ‘eu’. Hahaha Mas Graças a Deus, Ele fala que o que Jesus me ensinou não ensinou a mais ninguém e que ele não sabe cantar sem eu. Aleluia! Rsr Tamo juntos e firmes por mais uns 80 anos mandando Naamã Mergulhar! Haha
Blog da Élida Régis: Quando e como surgiu a Claudia compositora? E a Claudia blogueira?
(Claudia reponde): Eu componho desde os 10 anos. Antes mesmo do Cláudio. Ele fazia umas músicas depois que eu fazia as minhas. Mas as deles, sinceramente eram muiiiiiito ruins. Hahaha Ele mesmo afirma isso. As minhas eram até ‘ouvíveis’, sabe? Mas ai, aos 15, Deus aperfeiçoou o dom do Cláudio de tal forma que ficamos todos impressionados. Eu compunha agora de forma inibida, ou ainda mais inibida porque via muita qualidade no mano. Mas aos poucos escrevia uma música aqui, outro 4 anos depois... hahaha Cláudio ficou me incentivando muiiiiiito, demais e me dando maior apoio pra buscar o aperfeiçoamento nas canções. Consegui então compor “Uma parede e nada Mais”, e ai foi muito aceita de maneira que fiquei impressionada! Honradíssima por Deus! Suficiente pra o mano ficar ainda mais no meu pé e mandando compor mais e mais e mais... Mas eu não consigo compor com a mesma quantidade dele e com a mesma variedade de estilos. Um dia, conversando com meu amigão Tony Ricardo (que você entrevistou ele aqui!), ele me disse pra parar de querer compor como Cláudio. Ele me disse que minha alma era diferente, era feminina, leve e que lia, pensava e via sob uma perspectiva diferente do Cláudio. Santas palavras. No outro dia fiz outra música. E assim tem sido. Elas são mais intimistas, mais orações, reflexos dos meus momentos com Deus, mas tem alcançado muiiiiiiitos corações! Eu nem acredito nesta tamanha honra que Deus tem dado. E Blogueira (meu Deus, eu falo demaaaais!)... Eu gosto de acompanhar blogs de moda.

Senti falta de um para o público feminino evangélico e ainda mais para assembleianas da ‘gema’ mesmo sabe? rsr Resolvi criar o Estilosas e Santas com a Zipora e cresceu assustadoramente. Fico feliz e ainda vou dedicar mais tempo pra o bendito blog. Minha correria não permite ainda, mas estamos nos organizando pra darmos o nosso melhor por lá.

Blog da Élida Régis: Como o Dibs surgiu na sua vida, como é namorar a distância e vai casar quando? Heheheh

(Claudia reponde): Annnnwww! Momento ‘robântico’! Mulher, se for pra eu contar a história... tu sabe que eu falo demaaaaais! Hahaha Então vou resumir, e um dia conto tuuuudo com exclusividade! Kkk
O Dibs é uma benção! (Annw de novo! Kkk). Ele foi um valente que enfrentou a gigante nordestina que não queria de jeito nenhum! Mas ele é um menino de oração e me conseguiu de joelhos. Veio aqui em Pernambuco no mês de Julho pensando que teríamos o congresso, mas foi desmarcado. Hahaha Eu conversava com ele meio monosilabicamente antes, mas não conseguia dar ‘aquele fora’ nele. Quando ele veio, percebi que é um homem de Deus. Simples demais, coração humilde, apaixonado por Jesus, pela oração e vi verdade no que ele dizia. Minha família amou ele. Primeiro até do que eu! Hahaha Ai depois, Jesus quebrou o vaso aqui e ai me apaixonei pelo menino do nome quasegringo! Hahaha
Namorar a distancia não é tãaao fácil. Mas a gente vive se falando, o dia toooodo e nos vemos sempre pelo facetime. A bronca é que além dele morar longe, meus fins de semana são viajando. Ai é bronca conciliar a agenda. Mas ele é muito compreensivo e já marcamos todas as vezes que nos veremos, ao menos até janeiro. Hahaha Casar... bom! Namorei hoje, a turma já visualizou o casamento 5 min depois! #Pressão! Mas crente namora pra isso mesmo né? Estamos orando... Ele vai vir morar aqui em breve e estamos pedindo a ajuda de Deus pra que seja no tempo dEle e se for o quanto antes, que seja  né? Hahaha

Eu não sei se ainda tem alguém lendo a bendita entrevista, mas se tiver, obrigada.  Oh povinho pra falar! Kkk Sei que ao menos a Élida leu. Obrigada! Hahaha
Deus abençoe! Super honrados!
Abração, Claudia e Claudio.

-----
Abraços!
Élida Régis

0 comentários:

Postar um comentário