8 de mai de 2014

On 17:33 by JovensADA   1 comentário


- “Não mecha. Fique quieto.

Essas palavras me arrancaram um sorriso numa manhã desta semana.
Os pensamentos durante o caminho se modificaram depois daquela cena. Para alguns talvez comum, mas, para mim, resposta de um Deus que nos ensina em cada minuto do dia.
Era apenas uma criança, aparentava ter uns 3 anos de idade, ao lado do pai, que cuidadosamente consertava uma motocicleta.
Olhinhos aguçados observavam curiosamente o que ele estava fazendo.
Em um momento, as pequenas mãos se dirigiram à caixa de ferramenta, quem sabe surge um sentimento interior em meio a tanta inocência: “preciso ajudar ao papai”.
De camarote assisto aquele menino, meio sem jeito, sem costume, disposto a dar uma “mãozinha”. Ele não se conteve em ficar sentado ou apenas olhando.
Já perto o suficiente, ouvi a repreensão do pai. Um rostinho triste surge diante da negativa àquele ato de tão boa vontade.
Acredito que outras tentativas vieram daquele menino. É difícil convencer uma criança que existem coisas que só os adultos podem fazer. O pai continuava lá, empenhado em seu trabalho, desejando apenas que o filho esperasse quieto ele terminar o que tinha começado.
Continuei meu caminho e não olhei mais para trás. Perdi o restante daquela cena.
Foi impossível não me ver naquela criança e não ver a figura de Deus naquele pai.
Quantas vezes curiosamente olhamos para o que o Deus está fazendo em nossas vidas e nos deixamos ser inundados de questionamentos?
O que Papai está fazendo?
Porque está fazendo dessa forma?
Para quê está fazendo isto?
Que horas será que Ele termina?
Nossa curiosidade e ansiedade nos levam a tentar se interver no trabalho. Arregaçamos as mangas, vamos até a caixa de ferramentas da vida, pegamos algum instrumento e tentamos “dar uma força”.
Nossas pequenas mãos se aventuram em dar uma arrumada no futuro, naquilo que Deus está trabalhando.
Sugerimos um tempo de conclusão mais curto, um caminho menos dolorido e um resultado segundo as nossas perspectivas.
Esquecemos que, quando fazemos isto só atrapalhamos. Inacreditavelmente queremos opinar naquilo que é bom, perfeito e agradável.
Talvez, uma das coisas que mais precisamos aprender é que somos crianças.
Há situações que só Papai resolve. Há coisas que só Ele conserta. Tem pessoas que só Ele muda. Existem propósitos que só no tempo Ele revela.
Nossa ajuda, mesmo com toda boa vontade, é desnecessária e ineficaz.
Sente-se ao lado do Pai, continue observando cuidadosamente o que Ele está fazendo. Apenas confie e descanse.
E, quando der aquela vontade de dar uma ajudinha, lembre-se da Sua voz dizendo:
Ei, psiu, pare, fique quieto: Papai está trabalhando.

A Paz do Senhor!


Por Ary Gabriel
Membro da AD em Vitória - Pe

Um comentário: