23 de out de 2010

On 12:13 by HERIVELTON MARCULINO   Sem comentários
Qdo eu comecei usar essa ótima ferramenta de compartilhamento de ideias, naum havia mtos escritores, pastores e cristãos em geral q possuíam um blog, e alguns até o preteriam, priorizando os sites. Mas tdo mudou. Há cada dia me espanto com o surgimento de novos blogs na gde rede. Axo isso mto bom. E vc?
Com a popularização da net — estima-se q o número de internautas brasileiros chegue a 40 milhões, segundo balanço realizado pelo Ibope/NetRatings em novembro/2008, praticamente o dobro de usuários de 2007 —, várias palavras e expressões têm surgido, influenciando a nossa língua portuguesa. Alguns exemplos dessa influência: googlar (fazer uma pesquisa no Google),orkutcídio (excluir o próprio perfil do Orkut), postar, deletar, printar...
Muitos veem no internetês (expressão grafolinguística criada na net pelos adolescentes na última década) um grande mal, um perigo, capaz de corromper a forma padrão do idioma, tornando o patrimônio da língua uma gde sala de bate-papo. Mas precisamos encarar a influência da net com equilíbrio, pois ela tb propicia o surgimento de novas palavras. Só é preciso ter cuidado com os exageros, q realmente são prejudiciais, principalmente para as pessoas sem uma boa formação educacional, q naum conseguem separar a linguagem coloquial da formal.
Eu sou bastante “quadrado”, pois naum gosto de usar o internetês nem em conversas no MSN (se bem q uso pouco essa ferramenta). Naum consigo substituir falou por flw, beleza por blz, etc. É claro q os jovens e adolescentes, principalmente, usam esse tipo de linguagem pq se acostumaram a naum colocar acentos nas palavras, o q consideram trabalhoso na hora de tc (digitar), já q é preciso apertar uma tecla a mais! Isso é ou naum preguiça? Em parte, sim, mas o internetês, às vezes, é prático (naum em um blog, é claro), haja vista a economia de caracteres, sem causar prejuízo à mensagem.
A cada dia, me convenço de q o internetês é coisa de adolescente, q tb aprecia gírias e outras efemeridades. Mas, como eu considero q o aprendizado força a pessoa a ser diferente, estimulo-os a se comunicarem da forma mais simples possível, porém correta, sem uso abusivo do internetês, vlw?
Abs, amigo! Xau, t+, bjs...
CSZ

0 comentários:

Postar um comentário